Resenhas tardias #02 – show do Teenage Fanclub em SP ***

teenage01

O fato de descer do ônibus no lugar errado nunca me rendeu uma noite tão bacana. A caminho do Sesc Pompéia, onde o show do Teenage Fanclub começaria em uma hora, não só saltei dois pontos antes do correto, como caminhei alguns metros na direção contrária, como um paraíba perdido na cidade grande.

Quando finalmente acertei a direção, agradeci ao meu instinto a mania de observar tudo enquanto caminho por aí. Alguns metros antes de entrar na rua do Sesc, vejo na calçada oposta três gringos andando tranquilamente e tirando fotos num lugar nada fotogênico: uma calçada suja e escura do bairro da Pompéia. Eram Norman Blake, Raymond McGinley e Gerard Love, respectivamente guitarrista, guitarrista e baixista do Teenage Fanclub.

Não hesitei. Atravessei logo a rua e fui falar com os caras. Pedi autógrafos no encarte do meu “Grand Prix” e exagerei um pouco na minha história. Disse que tinha vindo de uma cidade no extremo norte do Brasil, em plena Amazônia, apenas para o show. Eles acharam aquilo o máximo e me perguntaram se era em Belém que tinha um estádio de futebol em que a linha do meio-campo ficava em cima da linha imaginária do Equador. Eu disse que não, que era em Macapá, mas o papo do futebol foi sensacional. Disseram que torcem para o Celtic, um dos dois times da Escócia que ganha alguma coisa. Pelo menos no campeonato escocês.

Alguns minutos depois, já estava quase colado no palco. É impressionante como bandas cultuadas que nem o Teenage tem a capacidade de socialização de fãs. Fui sozinho, mas fiz alguns “amigos de primeira fila”, com quem troquei expectativas das músicas que queria ouvir. Os caras esticaram o pescoço que nem avestruz pra ver o setlist assim que um dos roadies o grudou no chão. Eu não. Queria manter o clima de surpresa. Mas acabei sabendo, pelos fanáticos tagarelas, que pelo menos cinco das minhas músicas favoritas estavam na lista.

Ah, sim, o show. Não tenho um adjetivo mais polido pra definir: foi fodão. Simplesmente fodão. Banda carismática, platéia envolvida e animada, músicos impressionados com todo aquele povo cantando as músicas. E a minha lista de canções favoritas no set foi mais gordinha do que eu pensava. “About You”, “Star Sign”, “Discolite”, “What You Do To Me”, “Mellow Doubt”, “Don´t Look Back” (a mais foda de todas), “Sparky´s Dream”, “Radio” e “The Concept”, que fechou a noite.

Aliás, fechou uma ova. Eu ainda precisava pagar uma dívida à minha querida Lívia. E encasquetei que teria de voltar a falar com os caras para conseguir autógrafos para a moça, com dedicatória e tudo. Eu e mais três companheiros de primeira fila (entre eles uma garota lindíssima e maravilhosa) ficamos enchendo o saco de um roadie super gente fina. Com cabelos longos e grisalhos e uma camisa que parecia a da seleção da Escócia, ele foi super gente fina. Eu disse a ele:

– Tell Norman the Amazon guy is here.

Ele deu risada e disse que ia falar. Alguns minutos depois, não deu outra. Ele chamou a mim e os outros três e fomos falar com os caras da banda. Conversamos mais, tirei mais fotos e peguei os benditos autógrafos para amigos. O Norman Blake disse que colocaria nossos nomes na lista para entrar de graça em um dos dois outros shows de São Paulo. O roadie de cabelo grisalho gostou da gente (especialmente da garota lindíssima e maravilhosa, velho tarado) e convidou a gente pra tomar umas cervejas com o pessoal da banda depois do segundo show. Foi do caralho, do caralho, do caralho…

Setlist:

Near You
About You
Star Sign
Start Again
Ain´t That Enough
The World´ll Be OK
Verissimilitude
I Don´t Want Control Of You
Did I Say
What You Do To Me
Your Love Is The Place Where I Come From
Discolite
Mellow Doubt
Don´t Look Back
Can´t Feel My Soul
Sparky´s Dream

BIS:
Everything Flows
Radio
He´d Be A Diamond (cover)
The Concept

 teenage

*** Texto originalmente publicado no blog Merry Melodies em 05/05/04. Uma atualização: meu “Grand Prix” autografado foi roubado em julho de 2007 junto com outros CDs que estavam no meu carro.

Anúncios

3 pensamentos sobre “Resenhas tardias #02 – show do Teenage Fanclub em SP ***

  1. Pô, o meu preferido dos 3, o Ray, saiu do outro lado da câmera. Hahahaha. 5 anos deu pra mudar bastante hein? A gente nem se nota..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s