Pareça inteligente em 5 lições

inteligencia

Parecer inteligente está na moda. Gostosas que antes se orgulhavam apenas de seus corpos malhados agora querem provar à humanidade que também podem ter conteúdo por dentro da bela embalagem. Retardados musculosos sonham convencer o resto do mundo que não gastam o dia inteiro definindo bíceps e peitoral. Imbecis fúteis agora vão ao teatro, dão rolês em livrarias e se dizem amantes de música boa. É a inclusão cultural que funciona, mas quase sempre não passa de um verniz. É a famosa “capa”. Isso porque, se vocês me permitem o uso de um jargão jornalístico, é mais fácil decorar apenas o lead do que a história toda.

Em mais um texto que não vai levar a lugar algum (exceto a alguma polêmica besta), Vidas Sonoras preparou um pacote para você, que pretende se juntar aos personagens descritos no parágrafo anterior e abandonar esta vida subjugada intelectualmente. São cinco itens que formam um disfarce de pessoa inteligente. Consuma-os com parcimônia e você verá o resultado em poucos dias. Você passará a ser convidado para vernissages, noites de autógrafos e festinhas after hours com a nata da classe artística e jornalística. Refletindo bem, é melhor você pensar duas vezes antes de seguir essas dicas…

Chico Buarque

Chico+Buarque

Começamos o nosso “smart pack” com uma suposta unanimidade. Por causa de sua fase politizada e de sua sensibilidade ao falar de amor, Chico Buarque é um compositor incontestavelmente acima da média. Só que tem gente que leva a admiração pelo sogro do Carlinhos Brown a um ponto que ultrapassa a idolatria e chega à devoção cega. E nem sempre isso convence. É difícil acreditar que a jovenzinha que vai ao show do Chiclete com Banana e quebra tudo no show do Mr. Catra consome Chico com a mesma naturalidade. Até porque, em geral, essas tchutchucas não conhecem mais que um par de músicas do cara. Talvez nem tenham entendido o trocadilho de “Cálice”. Apesar disso, defendem Chico com a fúria de quem teve o novo corte de cabelo criticado. Fale mal da bandana do Bell, mas não mexa com os olhos mais admirados da MPB.

David Lynch

david-lynch

 Lynch teve alguns bons acertos na carreira (“Twin Peaks”, “Cidade dos Sonhos”, “Veludo Azul”), mas sua obra é quase toda pautada em filmes que ninguém entende. Atores que interpretam mais de um personagem, personagens que são interpretados por mais de um ator, narrativas herméticas e fragmentadas, histórias nonsense… Mas, enfim, é o David Lynch. Ele pode. Pelo menos é o que pensam os portadores do pacote de verniz intelectual. Eles vão ao cinema, passam duas horas vendo cenas inexplicáveis e desconexas e, ao final, passam semanas inventando teorias para dar algum sentido àquele amontoado de filmagens aleatórias e fragmentadas. Taí o melhor momento para o proprietário do “smart pack” se revelar. Invente uma historinha mirabolante e faça todo mundo pagar sapo pro senhor.

Clarice Lispector

clarice lispector

O pacote instantâneo de inteligência precisa de citações, aquelas aspas salvadoras de toda hora. Seja para falar numa mesa de bar ou para colocar como frase de status no Orkut ou no MSN. A autora escolhida é Clarice, porque ela tem as manhas de falar das coisas simples da vida de um jeito bonito e sem muitas firulas. Ou seja, não é preciso ter mais de dois neurônios para se impressionar com pensatas como “liberdade é pouco, o que eu desejo ainda não tem nome”. Mas não se dê ao trabalho de ler livros inteiros, o que é perda de tempo na era digital. Jogue “Clarice+Lispector+frases” no Google e deguste centenas de citações para surpreender quem você quiser.

Jornal Pessoal

jornal pessoal

Este item vale mais para quem vive em Belém do Pará. Jornal Pessoal é uma publicação quinzenal editada de forma independente por Lúcio Flávio Pinto, um dos mais célebres e polêmicos jornalistas do Brasil. Em mais de 20 anos de JP, Lúcio peitou poderosos, denunciou crimes agrários e ambientais e mostrou o quanto a Amazônia pode ser parecida com o Velho Oeste. Não à toa, é idolatrado por muitos jornalistas e estudantes de jornalismo. E é frequentemente citado por quem quer parecer inteligente e bem informado. Às vezes as pessoas sequer compram o jornal. Apenas o folheiam na banca para poder chegar para os amigos no outro dia e perguntar: “vocês viram a última matéria do Lúcio sobre a usina de Belo Monte? Polêmica, né?”.

CQC

CQC1

Não há nada mais digno de um “smart pack” do que qualquer coisa que seja atrelada à famigerada expressão “humor inteligente”. E não faltam produtos deste rótulo: Monty Python, Woody Allen, TV Pirata… Só que o que está mais em evidência hoje em dia é o CQC, da TV Bandeirantes. É um ótimo programa, que coloca políticos, celebridades e subcelebridades na berlinda de um jeito bem sarcástico. Mas que leva seus telespectadores a se vestir com um espírito de “sou mais inteligente do que quem assiste as outras merdas da TV aberta”. Ou então: “faço parte da elite intelectual que critica esses políticos FDP´s”. É muito mais fácil do que assistir a TV Senado.

Anúncios

16 pensamentos sobre “Pareça inteligente em 5 lições

  1. MInha humilde sugestão para os interessados no smart pack do Vidas Sonoras: vá no site de torrent http://btjunkie.org/, digite na busca Indie Playlist e faça o download de todas (principalmente dos meses mais recentes). Voilà, você tem em mãos as novidades da música alternativa e poderá pagar de antenado para os amigos que ainda estão ouvindo Strokes.

  2. Outras dicas: frequente vernissages (Arte Pará vem aí e ótimo pra beber de graça enquanto finge que a-do-rou as obras), ande sempre com uma revista Caros Amigos a mostra (a Bravo! funciona tb) e dê uma pinta no Café Imaginário pra falar sobre o Chico, o David Lynch e o CQC, entre uma pizza de jambu e outra.

  3. tem aquela história que o Chico Buarque pagou um cara para cheirar o peido dele. outro que o Marcelo Tas fez um vídeo pornô utilizando sua careca intervaginalmente. existem alguns fatos não comprovados como o do David Lynch ser o arauto do apocalipse cinematográfico, fazendo remakes bizarros de filmes alemães com a mesma contextualização dos referidos, mas trazendo um cara com mais defeito (vide O Homem Elefante e e O Homem Que Ri). e o Lúcio Flávio Pinto nada mais é que uma Clarice Lispector de saiote escocês (kilt), mas isso não faz ele deixar de ser uma pessoa boa, ou ruim, esperaria que ele fosse um Highlander, e o Maiorana também, daí vai que eles cortam ambas as cabeças ao mesmo tempo, isso ia ser firme.

  4. # Clarice Lispector é a preferida de orkut das meninas hoje em dia. Eu sempre digo que o mundo será um lugar bem melhor de se viver quando as meninas substituírem as frases da Clarice Lispector de seu Orkut pelas do Emil Cioran. Tirando por quem usa as da Lispector…ela devia ser uma chata du cacete.

    # Um dia desses, percebi que virou meio hype não gostar mais do cqc – eu não assisto porque passa segunda à noite (é isso?) e depois, dá pra ver tudo no you tube. O pessoal achou que iria se divertir a valer seguindo os caras no twitter..hahah, disque é uma negação total. Rapaz, eu acho que não vou criar nenhum show de humor, porque quando acabar o meu hype, vão dizer que não tem graça nenhuma.

    # David Lynch caiu como uma luva polodáctila aqui <–perceba que isso também não tem nenhum sentido. Eu acho os filmes bonitos, as mulheres também, como Patricia Arquete em "Lost Highway", mas entender mesmo… hahah, não entendo porra nenhuma! Fazer o que? a primeira desculpas desses caras é dizer que não é pra ser entendido e sim "experimentado". Talvez no final faça um pouco de sentido. Laerte diz que faz tiras para crescer, e as pessoas fazem muita questão de tentar entender as coisas. E as tiras são boas, muito boas. 😀

    aquele abraço.

  5. Odeio Chico. Gosto de Lynch e de Clarice e do Jornal Pessoal também, e do CQC, embora ainda prefira o Pânico, que segundo um amigo “é um programa muito baixaria para o humor inteligente do CQC”. Ah, esse mesmo amigo ainda prefere Simpsons a Family Guy, “por ser um humor mais refinado”. E quem disse que humor precisa ser refinado, senhor?

  6. Sabes que concordar contigo é assinar declaração de “Sou ranzinza, e daí?”. Mas nem tem como argumentar. Check list perfeito para o rótulo “cara de conteúdo”.

    beeeijo.

  7. Eu me senti burrinha agora. E de uma forma estranhamente positiva. Gosto do Chico, mas sem idolatria. Não sei quem é David Lynch [é diretor? nunca gravo nomes de diretores…]. Clarice não é ruim [não que eu goste], o chato é ver os textos dela ficando batidos. Jornaç Pessoal? nuncavimaisgordo. E CQC, bem… prefiro a TV Senado.

    PS: Juliana Camargo, depois que tomei gosto por Family Guy, Simpsons quase perdeu a graça. Quase.

  8. Não sei como me sinto. Pois eu amo o Chico, mas nunca fui à um show do Chiclete com Banana e afins. Não gosto dos filmes do David Lynch por justamente achar os fimes dele complexos demais, como se ele quisesse jogar nossa falta de sagacidade na cara. Clarice Lispector é simplista demais, mas sempre é bom ter. Gosto do Jornal Pessoal, apesar de ter minhas resalvas. E aprecio o CQC apesar de ter minhas ressalvas.
    E estou em crise existencial, pois não sei se sou uma intelectual, uma pseudo-intelectual ou sei lá o que. Mas o texto é muito bom Leonardo, está de parabéns, conduz a reflexão em torno da nossa intelectualidade ou falta dela.

  9. Porra, me deu uma preguiça de comentar agora. Hahahahaa.
    Bom post, cara.

    E não sei mas acho que vou te invejar e fazer algo parecido no meu blog.

    Mas, te digo uma coisa: Chico Buarque é tudo de bom; Linch é meu preferido na sétima arte; eu espero na porta da banca em dia de nova edição de Jornal Pessoal, afinal é o Lúcio absulotamente necessário; já comprei todos os livros da Clarice, ela é demais, já diza aquela dupla sertaneja; já o CQC largo qualquer coisa na segunda pra ver, porque político tem mesmo que ser criticado e #forasarney. Agora até mais que vou malhar o tríceps porque essa conversa me deixou com a musculatira um pouco mais flávida.

  10. Humor refinado os simpsons e family guy? Vamos combinar…nem tudo se entende desses duas séries que relatam famílias típicamente americanas….e algumas dublagens são de matar…
    Deve ser cult não entender e fingir entendimento….:p

  11. No momento que escrevo esse comentário estou ouvindo Chico, curioso que a música que mais gosto dele é cálice [acho q entendo o trocadilho] e fico triste com a vulgarização da cultura, pois, apoio que a cultura, assim como a ciência, sejam popularirazadas, mas, sem vulgarizar, o que tem acontecido muito nas redes sociais, a galera tem exagerado no #pseudointelectualismo é muito comum no orkut vê um monte de gente entrando em comunidades de pessoas e gostos “alternativos” só pra que digam: “Olha como ele é cult”.

    Chico: tem música boa, mas, não é tudo isso q dizem.

    David Lynch: a personificação do #pseudointelectualismo nem ele entende seus filmes.

    Clarisse: É meio fast food, a frase que vc precisa bem ao seu alcance, nd muito profundo.

    Lúcio Flávio: Seu LINDO!

    CqC: Bosta total, anarquistas! O q eles fazem pra melhorar o mundo? Satirizam e mudam nada!

    O twitter tá cheio de gente que diz, olha tou assistindo um filme antigo do Billy Wider ou Hitchcock! Nossa como a Audrey Hepburn é linda! mas na verdade se q sabem quem foram essas pessoas e o que elas representaram para toda uma geração!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s